Loja Virtual Grátis

Loja Virtual Grátis
Patrocinador

Banco Central reduz juros para 11,25% ao ano

A taxa Selic passou de 12,75% para 11,25%, refletindo o que vários economistas  haviam apontado: a queda de 3,6% do Produto Interno Bruto (PIB) no último trimestre de 2008, em relação ao trimestre anterior, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), levaria a uma redução ainda maior da Selic.
"Avaliando o cenário macroeconômico, o Copom decidiu, neste momento, reduzir a taxa Selic para 11,25% a.a., sem viés, por unanimidade. O Comitê acompanhará a evolução da trajetória prospectiva para a inflação até a sua próxima reunião, levando em conta a magnitude e a rapidez do ajuste da taxa básica de juros já implementado e seus efeitos cumulativos, para então definir os próximos passos na sua estratégia de política monetária", diz a nota do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central.

Na última segunda-feira (9), o boletim Focus, do BC, que mostra semanalmente projeções de analistas de instituições financeiras sobre os principais indicadores da economia, divulgou que os analistas de mercado previam uma redução de 1 ponto percentual.

A redução foi de 1 ponto percentual na reunião anterior, em janeiro. Na ata dessa reunião, o comitê indicou que iniciava um processo de flexibilização da política monetária, ou seja, de redução dos juros básicos.

A taxa de juros é o principal instrumento que o BC tem para controlar a inflação. Se os juros caem, a população tem maior acesso ao crédito e consome mais, com possibilidade de pressionar os preços.

Mas, como a demanda por consumo está baixa em todos os países, e os preços das principais commodities, produtos básicos com cotação internacional, também estão em baixa, os analistas de mercado não vêem sinais de eventuais pressões inflacionárias.

Nem mesmo o corte de 1,5 ponto porcentual na taxa básica de juros determinado pelo Comitê de Política Monetária (Copom), do Banco Central, foi capaz de tirar o Brasil da liderança do ranking dos países com maiores juros reais. De acordo com os cálculos da UPTrend Consultoria Econômica, com o corte de ontem, a taxa real brasileira é de 6,5% ao ano, levando-se em conta uma inflação projetada de 4,5% para 2009. O segundo lugar no ranking é ocupado pela Hungria, com taxa real de 6,2%; seguida pela Argentina e China, ambas com 4,3%, e na quinta colocação a Turquia (3,5%).

 

 

 

VAGNER FERNANDES DAVID  Pride Commerce  |  www.pridecommerce.com  |   11 9766-8986  |  18 9781-2575 |  18 8806-8356

 

 

0 Comentario "Banco Central reduz juros para 11,25% ao ano "

link patrocinado

Saldão de Eletros

Sua loja grátis

Copyright

É expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo e dos textos disponíveis no site principal (http://www.pridecommerce.com), no fórum de discussões, no boletim de notícias enviado por email e em nas nossas páginas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.), seja através de mídia eletrônica, impressa ou qualquer outra forma de distribuição, mesmo citando a fonte e colocando link para o artigo original. Os infratores serão indiciados e punidos com base nas leis nº 9.610 de 19/02/1998 (Brasil), Digital Millenium Copyright Act (DMCA) (EUA) e diretiva 2001/29/EC (União Européia).



Não nos responsabilizamos por danos materiais e/ou morais de qualquer espécie promovidos pelo uso das informações contidas em nosso site, em nosso fórum de discussões, nosso boletim de notícias ou em publicações feitas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.).



Opiniões emitidas por usuários e moderadores não necessariamente refletem a opinião da Pride Commerce e de sua direção.