Loja Virtual Grátis

Loja Virtual Grátis
Patrocinador

Pagar com cartão pode sair mais caro a partir de agosto

Legislação

 

Medida Provisória que determina diferenciação entre pagamento à vista e com cartão de crédito será votada pelo Senado até o próximo dia 3

 

A Medida Provisória 460, aprovada no Senado Federal no último dia 7, e que, dentre outras coisas, determina a possibilidade de diferenciar o preço entre as vendas à vista e por meio de cartões de crédito será votada na Câmara dos Deputados até o próximo dia 3. A MP foi incluída no Projeto de Lei de Conversão 12/2009, que tratava originalmente da concessão de benefícios fiscais para as construtoras no âmbito do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, do governo federal.

A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Pro Teste) destaca que o Senado aprovou “na surdina” a cobrança de preço diferenciado na venda com cartão de crédito, já que a proposta anterior havia sido derrubada. Para a Pro Teste, haverá prejuízo se o projeto se tornar lei, porque repassará ao consumidor o custo que o comerciante tem com a administradora do cartão. Segundo a associação, os cartões de crédito, débito, cheque e dinheiro devem ser aceitos como pagamentos à vista. “As lojas só são obrigadas a receber dinheiro, os outros meios adotam por opção e, portanto, elas devem suportar o custo”, avalia Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Pro Teste. “Não se sustenta o argumento de que o preço cairá para quem paga à vista, seria um retrocesso inaceitável. Veremos o preço subir para quem usa cartão, e não diminuir para quem paga à vista”, avalia. “O consumidor não deve arcar com um gasto que não é seu”, completa.

Maria Ines lembra ainda que a proposta de cobrança de preços diferentes para compras realizadas com cartão e à vista altera o Código de Defesa do Consumidor, acrescentando a determinação de que não será considerada abusiva a fixação de preço diferenciado "na venda de bens ou na prestação de serviços pagos com cartão de crédito em relação ao preço à vista, desde que o consumidor seja inequívoca e ostensivamente informado pelo fornecedor a esse respeito", explica. “Precisamos de regras que regularizem e normatizem o setor. Essa mudança, se for aprovada, vai beneficiar somente as operadoras de cartões de crédito e os lojistas, penalizando o consumidor por usar o dinheiro de plástico”, defende.

A Pro Teste enviou ofícios ao presidente da Câmara dos Deputados, à Casa Civil e às lideranças governamentais manifestando rejeição à medida. “Não vamos aceitar essa situação que resultou da pressão das operadoras de cartões de crédito junto ao poder executivo”, ressalta Maria Ines.

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) argumenta que se a nova legislação for aprovada vai trazer ganhos aos consumidores. “A indústria dos cartões de crédito nos obriga a inserir no preço de nossas mercadorias e serviços os custos abusivos que nos são cobrados de forma direta ou indireta e com a aprovação da MP 460 será possível oferecer preços mais baixos”, afirma Roque Pellizzaro Junior, presidente da CNDL.
 
Pellizzaro observa ainda que o País não vive mais o período da inflação e em uma economia de mercado a diferenciação de preço em pagamentos com cartão é necessária, beneficiando o consumidor. “Esta regra trará prejuízos sim, mas em especial aos  lucros abusivos dos cartões, obtidos ao custo do sangue do consumidor brasileiro”, enfatiza.

A Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) se manifestou através de nota à imprensa. No documento, a Abecs declara que a regra de não sobrepreço foi e é importante para o aumento da penetração do cartão de crédito. E sustenta ainda  que o preço diferenciado é uma prática que sempre foi combatida pelos órgãos de defesa do consumidor e que esse assunto deve ser discutido e negociado mais amplamente antes de ser aprovado.
 
A Abecs informa ainda que a taxa média anual de crescimento da indústria brasileira de cartões nos últimos anos girou em torno de 20%, relacionado, em grande parte, à maior aceitação do plástico como meio de pagamento, reflexo da garantia de recebimento do crédito para o lojista e maior poder de compra para o consumidor.

 

 

VAGNER FERNANDES DAVID  Pride Commerce  |  www.pridecommerce.com  |   11 9766-8986  |  18 9781-2575 |  18 8806-8356

 

 

0 Comentario "Pagar com cartão pode sair mais caro a partir de agosto"

link patrocinado

Saldão de Eletros

Sua loja grátis

Copyright

É expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo e dos textos disponíveis no site principal (http://www.pridecommerce.com), no fórum de discussões, no boletim de notícias enviado por email e em nas nossas páginas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.), seja através de mídia eletrônica, impressa ou qualquer outra forma de distribuição, mesmo citando a fonte e colocando link para o artigo original. Os infratores serão indiciados e punidos com base nas leis nº 9.610 de 19/02/1998 (Brasil), Digital Millenium Copyright Act (DMCA) (EUA) e diretiva 2001/29/EC (União Européia).



Não nos responsabilizamos por danos materiais e/ou morais de qualquer espécie promovidos pelo uso das informações contidas em nosso site, em nosso fórum de discussões, nosso boletim de notícias ou em publicações feitas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.).



Opiniões emitidas por usuários e moderadores não necessariamente refletem a opinião da Pride Commerce e de sua direção.