Loja Virtual Grátis

Loja Virtual Grátis
Patrocinador

Pele humana pode servir como monitor

Não há limites para a tecnologia. A cada dia inventam-se coisas surpreendentes. Agora, a Microsoft, em parceria com a Universidade Carnegie Mellon, desenvolveu um sistema que pode converter a pele humana em um monitor que funciona pelo toque dos dedos.
monitor_pele
O sistema, chamado Skinput, utiliza sensores acústicos capazes de detectar sons de baixa frquencia e, por meio de um bracelete com um pequeno projetor, reflete sobre a pele uma espécie de teclado.

Graças a esta técnica é possível manejar equipamentos de som, telefones móveis ou agendas eletrônicas tocando um menu projetado no antebraço ou em outra parte do corpo.
“A pele humana é o mais moderno dispositivo para a entrada de dados. Nosso corpo permite acessar esses dados com uma exatidão que jamais conseguiríamos com um mouse”, diz Chris Harrison, criador do Skinput.
Veja o vídeo. Está em inglês, mas dá para sacar seu conteúdo.


0 Comentario "Pele humana pode servir como monitor"

link patrocinado

Saldão de Eletros

Sua loja grátis

Copyright

É expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo e dos textos disponíveis no site principal (http://www.pridecommerce.com), no fórum de discussões, no boletim de notícias enviado por email e em nas nossas páginas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.), seja através de mídia eletrônica, impressa ou qualquer outra forma de distribuição, mesmo citando a fonte e colocando link para o artigo original. Os infratores serão indiciados e punidos com base nas leis nº 9.610 de 19/02/1998 (Brasil), Digital Millenium Copyright Act (DMCA) (EUA) e diretiva 2001/29/EC (União Européia).



Não nos responsabilizamos por danos materiais e/ou morais de qualquer espécie promovidos pelo uso das informações contidas em nosso site, em nosso fórum de discussões, nosso boletim de notícias ou em publicações feitas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.).



Opiniões emitidas por usuários e moderadores não necessariamente refletem a opinião da Pride Commerce e de sua direção.