Loja Virtual Grátis

Loja Virtual Grátis
Patrocinador

Crescer exige planejamento e boa gestão do negócio

Crescer, ampliar vendas e rentabilidade, ganhar mais força e espaço no mercado são desejos de toda empresa de micro e pequeno porte. Mas como avaliar se chegou a hora da expansão?

O consultor do Sebrae-SP Reinaldo Messias dá uma orientação que pode ajudar os empreendedores de qualquer ramo de negócio: “Crescer não consiste somente em ser melhor que a concorrência e superá-la, mas sim, por meio da boa gestão, fazer  sempre o melhor a cada operação. A tomada de decisão de crescer dependerá de oportunidades e fatores externos, mas também do perfil de cada empresário, sendo fundamental planejar previamente para atingir as metas”, explica.

Messias lembra que quando a economia está aquecida, muitas empresas, principalmente as que estão saudáveis e no azul, apostam em ganhos que parecem recompensadores e partem para investimentos em novos mercados, operações, equipamentos ou instalações. “Muitos creem que apenas o “feeling” empreendedor basta para tomar a decisão, seja de ampliar a operação que já existe, abrir uma filial, diversificar e buscar novo ramo de atividade. Mas crescer exige antes planejar; conhecer a fundo a operação e os custos operacionais do negócio; estabelecer indicadores que permitam saber se ele está realmente crescendo (operando com mais lucro) ou apenas inchando. Um planejamento acertado apontará a real dimensão dos investimentos a realizar, frente aos resultados que se espera atingir, e quanto tempo será necessário para conseguir o retorno do investimento.”
Outro aspecto que merece toda a atenção é a inovação, uma necessidade para a sobrevivência e expansão do negócio. Inovar nos processos, na tecnologia, nos produtos e serviços deve fazer parte de qualquer projeto de expansão. A empresa que inova abre espaço para a geração de receitas e ganha competitividade.
É importante saber ainda que se paga um preço para crescer, diz Messias. Para executar o plano de expansão, geralmente serão necessários recursos financeiros. O investimento pode ser conseguido pela venda e incorporação de um patrimônio pessoal ou familiar, como um bem móvel ou imóvel e, neste caso, gerar insegurança. Se a decisão for madura e bem planejada, este sentimento será logo abandonado frente ao estímulo positivo do lucro.
Em outros casos, poderá ser necessário o aporte de recursos de um sócio ou a tomada de crédito bancário. “No caso de financiamento, quanto mais sólido for o planejamento e suas comprovações, mais facilmente serão disponibilizados os recursos, e as parcelas poderão ser absorvidas pelas receitas adicionais geradas. Será preciso avaliar cuidadosamente as taxas de juros e garantias exigidas pelo banco, e a possibilidade de geração de lucro mesmo com o pagamento do financiamento.” A depender do porte da empresa, o planejamento também pode ajudar a conseguir investimentos por meio da abertura de capital.
“Buscar um sócio que integre capital é interessante, mas pode custar parte da autonomia que o empreendedor possui para tomar decisões; será preciso saber se o empresário quer e está pronto para isso. Ele também precisará avaliar itens como vantagens e riscos de mercado para a expansão (situação do ramo de negócio, concorrência, situação econômica local e geral); se o crescimento projetado está em sintonia com as competências e gestão da sua equipe de trabalho; se vai ser necessário e como poderão ser efetivadas mudanças na carteira de clientes e fornecedores.
” Tomar decisões de mudança, diz o consultor do Sebrae, exige que o empresário se sinta realmente liderando o processo evolutivo de seu negócio, e pensando não só em ações, mas em estratégias que levarão ao efetivo crescimento da empresa.
Estratégia e senso de oportunidade ajudaram a empresária Nathália Freitas. Sócia de uma loja inaugurada há 27 meses, inicialmente como multimarcas, no Tatuapé, na capital, em menos de um ano ela ampliou o negócio, coordena uma equipe de sete funcionários e decidiu abrir uma confecção para produzir as peças que levam sua marca.
“Nosso principal fornecedor não dava conta de nossos pedidos, e percebemos espaço para crescer no mercado com um trabalho diferenciado. Hoje eu mesma crio as nossas estampas. A maioria de nossas vendas, como já tínhamos planejado desde a abertura da empresa, tem origem em contatos feitos com os clientes nas redes sociais, e nosso foco mudou do varejo para o atacado”.

Mudando para sobreviver
Para as micro e pequenas empresas (MPEs) que não vão bem ou se encontram estagnadas, o conselho do consultor do Sebrae-SP, Reinaldo Messias, é encarar sem medo a situação do negócio, fazendo um raio X e um planejamento, que tanto poderão levar a mudanças ou expansão como à decisão de vender a empresa - enquanto ainda há chances de recuperar o total ou parte do capital investido. Messias faz uma lista dos principais problemas a eliminar quando se decide que é hora de mudar e de se comprometer com a profissionalização da gestão.

Práticas que prejudicam a empresa
1. Empresário se dedica mais ao “fazer” do que às estratégias de “pensar” o negócio.
2. Falta adequação ao planejamento operacional, custeio e acompanhamento de gastos para cada pedido executado.
3. Há baixo grau de divulgação e comunicação da empresa com mercado e clientes.
4. Houve perda de credibilidade dos clientes em função de atrasos e/ou entregas incompletas.
5. Falta foco de atuação e padrão de qualidade sintonizado com o mercado.
6. A empresa tem baixa produtividade, ocasionada por equipamentos obsoletos e mão de obra despreparada. Inovar e treinar pessoal são reações fundamentais.
7. A gestão mistura negócios da empresa com os negócios da família.
8. Faltam ações para melhoria, retenção e valorização de profissionais e colaboradores.
9. Faltam ações para apuração e eliminação de desperdícios nos processos empresariais.
10. A desorganização é evidente nas operações da empresa; permeia a administração e chega ao atendimento a clientes.


0 Comentario "Crescer exige planejamento e boa gestão do negócio"

link patrocinado

Saldão de Eletros

Sua loja grátis

Copyright

É expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo e dos textos disponíveis no site principal (http://www.pridecommerce.com), no fórum de discussões, no boletim de notícias enviado por email e em nas nossas páginas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.), seja através de mídia eletrônica, impressa ou qualquer outra forma de distribuição, mesmo citando a fonte e colocando link para o artigo original. Os infratores serão indiciados e punidos com base nas leis nº 9.610 de 19/02/1998 (Brasil), Digital Millenium Copyright Act (DMCA) (EUA) e diretiva 2001/29/EC (União Européia).



Não nos responsabilizamos por danos materiais e/ou morais de qualquer espécie promovidos pelo uso das informações contidas em nosso site, em nosso fórum de discussões, nosso boletim de notícias ou em publicações feitas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.).



Opiniões emitidas por usuários e moderadores não necessariamente refletem a opinião da Pride Commerce e de sua direção.