Loja Virtual Grátis

Loja Virtual Grátis
Patrocinador

O quitute cai no gosto dos consumidores e cresce o número de redes de franquias especializadas no salgadinho

Christóvão: franqueados da Empada Brasil têm flexibilidade para servir produtos da região em que atuam
O tradicional lanche da tarde dos brasileiros está cada vez mais elaborado. Além do café, as empadas estão conquistando o paladar dos consumidores. O salgado, que antes era feito em festas e reuniões de famílias, se popularizou pelo País e é considerado um dos negócios mais promissores do mercado. A demanda fez aumentar a produção, e brasileiros que antes fabricavam o salgado em casa estão expandindo o negócio e até o transformando em franquia. Hoje são mais de 160 pontos de venda de empadas só de lojas e quiosques de franquias. Se as empadas caíram no gosto dos consumidores, os salgados atraíram também quem queria investir no sistema de franchising.
Quando Alzira Gonçalves resolveu abrir a Casa da Empada, não tinha ideia da dimensão que o negócio tomaria. Ela abriu uma pequena lanchonete em 1987 no Rio de Janeiro para vender empadas. Em poucos anos, a procura pelos salgados aumentou e Alzira precisou ampliar o negócio, até que em 1998 decidiu transformar a Casa da Empada em uma franquia. A rede tem hoje 27 pontos de venda e é responsável por uma produção mensal de 200 mil empadas.
Em 2010, a empresária deu um passo ainda maior. Ela foi à França apresentar a franquia para investidores estrangeiros. A Casa da Empada foi convidada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) para representar o Brasil na Franchise Expo Paris, um dos maiores eventos de franchising do mundo. “Foi uma experiência muito boa para apresentar a Casa da Empada, compreender o mercado internacional e fazer novos contatos. Percebi que a empada ainda é um produto desconhecido no mercado internacional e que muitos visitantes nunca tinham ouvido falar ou mesmo degustado uma”, conta Cláudia Gonçalves, diretora da franquia.
A partir dos contatos que fez na feira, Cláudia pretende estudar algumas propostas, analisar o mercado e fazer pesquisas sobre os hábitos de consumo dos países em que a rede pretende um dia instalar uma unidade. “Muitos visitantes vieram falar comigo. O que mais me chamou a atenção foi o interesse de franceses em vir morar no Brasil e já querer vir para cá com algum negócio em mente. Por isso, eles ficam bem interessados em saber como funcionam as franquias brasileiras.”
Para Ricardo Camargo, diretor-executivo da ABF, o potencial de crescimento de franquias de empadas no Brasil e no exterior é grande. “Escolhemos uma franquia de empadas para representar o País na Franchise Expo porque esse é um formato de franquia tipicamente brasileira, é um produto novo no mercado internacional e essa é uma área em expansão.” Ele conta que o setor de franquias de alimentação foi o que mais cresceu em 2009 no Brasil, a uma taxa de 21%, enquanto os demais registraram aumento médio de 14%. O diretor da ABF explica que esse crescimento está associado a um novo hábito do brasileiro. “As pessoas têm preferido fazer refeições fora de casa. A estimativa é que os brasileiros gastem em média R$ 70 bilhões por ano com despesas alimentares em bares, cafés e restaurantes.”
Se 2009 já foi um ano bom, as perspectivas do setor para 2010 são ainda maiores. Carina Arbex, diretora da Empada Caipira, conta que tem se surpreendido com o aumento no número de interessados em investir na franquia em comparação com o ano passado. “Só este ano, em três meses, já fechamos negócio para a abertura de seis franquias e pretendemos fechar mais 14 até o final de 2010.” A Empada Caipira tem hoje 23 pontos de venda localizados nos estados do Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e Sergipe. “Nós começamos o negócio inspirados em uma receita de família e a partir dela estamos sempre trabalhando para oferecer salgados diferentes. Hoje somos a única rede no Brasil a ter 40 sabores de empadas”, afirma Carina.
Para Liana Bittencourt, diretora da Bittencourt Consultoria, empresa especializada em expansão de negócios, o brasileiro – além de comer mais fora de casa – está mais preocupado com a qualidade dos alimentos que consome e, por isso, franquias que conseguirem trabalhar com esses dois conceitos só tendem a crescer. “Formatamos o modelo de franquia da Procura-se a Empadinha e acreditamos que esse segmento é promissor porque eles produzem um salgado sem gordura trans. Outra vantagem é que esse é um formato de negócio de fácil implementação, porque o grau de manipulação dos ingredientes é pequeno e o alimento é de fácil preparo.” A franquia tem hoje duas lojas próprias e deve abrir até o final do ano mais dez unidades.
A franquia Dona Empadita também é nova no mercado. A rede, que foi criada em 2007 em Campina Grande (PB), chegou ao mercado com uma proposta diferente. Além das tradicionais empadas, a Dona Empadita é especializada na fabricação de 20 sabores de empadas abertas como as de morango com chocolate e de salmão com rúcula. Em 2010, a rede quer expandir sua atuação no mercado, principalmente na Região Nordeste. “Os interessados na franquia não precisam ter experiência no setor, basta que seja um empreendedor disposto a participar do negócio. Damos treinamento e capacitação para que os nossos franqueados possam produzir as empadas em suas próprias unidades”, explica Tânia Alverga, diretora da franquia.

Quando Frederico Duarte se mudou com a esposa de Niterói (RJ) para João Pessoa, pensou em abrir um negócio que garantisse uma segunda fonte de renda para o casal. Eles começaram em 1995 vendendo empadas na beira da praia em uma carrocinha. “Eu ajudava a minha esposa nos fins de semana, mas à medida que o negócio foi crescendo resolvi abandonar o meu antigo trabalho de representante comercial e montar a Empadinhas Barnabé.”
Em 15 anos, a Empadinhas Barnabé cresceu, se transformou em franquia e hoje tem sete unidades no Nordeste. Além de 13 sabores de empadas, a franquia serve sucos, refrigerantes e suspiros. “Comecei a produzir suspiro porque ele pode ser feito a partir de um subproduto da empada. A base da massa de empada leva muita gema de ovo, e para não jogar fora a clara eu resolvi produzir suspiro.”
O empresário explica que, para garantir a qualidade dos produtos da rede, centralizou a fabricação das empadas e, dessa forma, os franqueados recebem todos os dias as empadas resfriadas e prontas para serem assadas. “A procura por nossos produtos é muito alta. Só para se ter uma ideia, João Pessoa, que é a cidade onde estamos instalados, tem uma população de 800 mil habitantes, e só no ano passado vendemos quase 700 mil empadas no ano. É como se mais de 80% da cidade já tivesse comido empada aqui.”
O arquiteto Francisco Christóvão percebeu que as empadinhas tinham uma boa aceitação no mercado quando começou a fazer os salgados em sua casa. Nos fins de semana, quando reunia os amigos em casa, o arquiteto costumava fazer empadas de queijo, uma receita que deu tão certo que ele precisou ampliar sua produção e aumentar o número de sabores. Com a experiência adquirida no ramo, em 1997 Christóvão abriu a primeira unidade da Empada Brasil. Hoje a rede de franquia tem 53 unidades em oito estados do País.
A Empada Brasil oferece 27 sabores de empadas, além de outros salgados, como bolinho de bacalhau, coxinhas e pastéis de forno. Os franqueados ainda têm flexibilidade para servir outros produtos característicos da região em que atuam. “Nós percebemos que o horário do lanche é o de maior movimento e que, mesmo diante de tantas opções, os clientes preferem a empada por ser um salgado assado”, afirma Márcio Rangel, master franqueado da Empada Brasil. Ele explica que a rede está constantemente trabalhando para desenvolver novos sabores de empadas e que em datas comemorativas a Empada Brasil costuma preparar empadas especiais como a empadatone para o Natal, uma empada doce com recheio de passas e frutas cristalizadas.
O ex-jogador de vôlei da seleção brasileira Fábio Caldas largou antigos projetos para investir no sistema de franquias. Em 2003, ele decidiu investir em um negócio para a mulher e resolveu criar a Empada Carioca. Em um ano, a marca já começou a despertar interesse de conhecidos e parentes e o empresário optou por expandir o negócio por meio do sistema de franquias.
Hoje a Empada Carioca é uma das maiores redes de franquias do País com 81 lojas em 10 estados. A rede serve nove tipos de salgados, mas o carro-chefe são os 22 sabores de empadas. “A maior parte dos pedidos é de empadas, elas representam 75% do faturamento do negócio”, explica Caldas.
Variedade
Dona Empadita
Ano de fundação: 2007
Taxa de franquia: R$ 15 mil a R$ 20 mil

Empada Brasil
Ano de fundação: 1999
Taxa de franquia: R$ 25 mil

Empada Caipira
Ano de fundação: 1998
Taxa de franquia: R$ 15 mil

Empada Carioca
Ano de fundação: 2003
Taxa de franquia: R$ 25 mil a R$ 35 mil

Empadinhas Barnabé
Ano de fundação: 1986
Taxa de franquia: R$ 30 mil a R$ 45 mil

Casa da Empada
Ano de fundação: 1987
Taxa de franquia: R$ 15 mil a R$ 30 mil

Procura-se a Empadinha
Ano de fundação: 2006
Taxa de franquia: R$ 20 mil
Contatos:
Casa da Empada: www.casadaempada.com.br
Dona Empadita: www.donaempadita.com.br
Empadinhas Barnabé: www.empadinhasbarnabe.com.br
Empada Brasil: www.empadabrasil.com.br
Empada Carioca: www.empadacarioca.com.br
Empada Caipira: www.empadacaipira.com.br
Procura-se a Empadinha: www.procuraseaempadinha.com.br

0 Comentario "O quitute cai no gosto dos consumidores e cresce o número de redes de franquias especializadas no salgadinho"

link patrocinado

Saldão de Eletros

Sua loja grátis

Copyright

É expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo e dos textos disponíveis no site principal (http://www.pridecommerce.com), no fórum de discussões, no boletim de notícias enviado por email e em nas nossas páginas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.), seja através de mídia eletrônica, impressa ou qualquer outra forma de distribuição, mesmo citando a fonte e colocando link para o artigo original. Os infratores serão indiciados e punidos com base nas leis nº 9.610 de 19/02/1998 (Brasil), Digital Millenium Copyright Act (DMCA) (EUA) e diretiva 2001/29/EC (União Européia).



Não nos responsabilizamos por danos materiais e/ou morais de qualquer espécie promovidos pelo uso das informações contidas em nosso site, em nosso fórum de discussões, nosso boletim de notícias ou em publicações feitas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.).



Opiniões emitidas por usuários e moderadores não necessariamente refletem a opinião da Pride Commerce e de sua direção.