Hospedagem Grátis

Loja Virtual Grátis

Loja Virtual Grátis
Patrocinador

Vendendo online na Black Friday sem ter site e CNPJ

Quando o assunto é vender na internet, a primeira coisa que um empreendedor pensa é que terá que contratar uma loja virtual, assim como é necessário com espaços físicos. Mas aí é que está o “pulo do gato” do comércio digital: dá, sim, para vender online sem ter site!

 


Principalmente com as redes sociais, que agora também se transformaram em pontos de vendas, é possível alcançar clientes e negociar ali mesmo.

E o melhor: a tecnologia de pagamentos está evoluindo para que você não fique refém de transferências e depósitos e, assim, mantenha o profissionalismo na sua operação mesmo fora de uma plataforma de e-commerce.

Uma das principais travas no processo de digitalização acaba sendo o medo dos custos e da mão de obra envolvida em montar uma loja própria.

Portanto, isso inibe a ideia do varejista em ter uma operação digital, que acaba se sentindo mais confiante em sua zona de conforto no varejo físico.

Mas, felizmente, agora é possível digitalizar sua operação começando com baixo custo e total facilidade. Entenda como vender online sem ter site!

Redes sociais são mais que vitrines

Você sabia que hoje já são 96,2% das empresas presentes nas redes sociais? E o objetivo principal é de ganhar visibilidade, segundo o relatório Social Media Trends 2019.

É inegável que as redes sociais tornaram-se grandes canais de vendas para muitas empresas. Afinal, são plataformas gratuitas com milhões de usuários, interagindo instantaneamente, e com várias ferramentas que auxiliam todo o processo.

É isso mesmo: as redes sociais deixaram de ser meras vitrines de produtos para possibilitar relações comerciais reais - tanto que whatsapp, Facebook e Instagram já oferecem ferramentas próprias para vendas.

Whatsapp Business

O maior app de mensagens instantâneas do mundo agora tem uma versão desenvolvida especialmente para pequenos empresários: o Whatsapp Business. É só baixar o app e criar o perfil da sua empresa!

Todas as informações de perfil podem ser editadas clicando no menu - representado por três pontinhos na vertical, localizado no canto superior direito, em seguida em “Configurações”, “Configurações da empresa” e “Perfil”.

Você ainda pode turbinar sua conta com informações fundamentais para o seu cliente, como:

  • descrição do negócio;
  • endereço;
  • horário de funcionamento.

O app ainda oferece uma série de recursos que auxiliam você a vender mais e melhor: catálogo de produtos, mensagens automáticas e etiquetas para organizar as conversas.

Aqui no blog do Pagar.me, nós preparamos um artigo especial sobre como vender pelo Whatsapp Business. Esperamos que te ajude!

 

Facebook Marketplace

O Facebook Marketplace foi criado também para facilitar a comercialização dentro da própria plataforma. Hoje, qualquer pessoa consegue criar uma página lá dentro e cadastrar produtos.

Para vender, basta acessar, no seu perfil do Facebook, uma aba chamada “Marketplace”. No desktop, fica no canto esquerdo da sua tela. No celular, ela fica logo abaixo da barra de pesquisas. É o ícone que lembra a fachada de uma lojinha!

Tanto no mobile quanto no desktop, o processo de cadastro para um novo produto é bem parecido.

Você precisa clicar em “vender um item”, aí abrirá uma janela solicitando algumas informações:

  • o que você está vendendo;
  • preço;
  • localização;
  • categoria;
  • descrição;
  • fotos.

Uma grande facilidade da ferramenta, é que as perguntas chegam direto nas suas mensagens do Facebook, tornando muito simples responder de forma rápida os interessados.

É importante saber, porém, que o Facebook Marketplace não tem um sistema de pagamento próprio. Cabe a você providenciar essa questão.

 

Instagram Business

O Instagram Business foi lançado em 2016, com o objetivo de abraçar de vez os anunciantes e criar uma modalidade de conta especial para empresas, lojas e empreendedores.

O recurso possui um conjunto de ferramentas que facilitam o trabalho desses perfis na rede social.

Alguns dos benefícios são, por exemplo, acesso a dados mais detalhados de conteúdo, com insights poderosos sobre a sua audiência, além da possibilidade de criar anúncios.

Transformar uma conta pessoal em uma conta comercial é super simples:

  1. Acesse as configurações do seu perfil a partir do menu que fica no canto superior direito;
  2. Clique em Conta;
  3. Selecione a opção Mudar para conta comercial.

Com uma conta de negócios, você pode escolher a melhor maneira para seus clientes entrarem em contato com você: por e-mail, telefone ou pelo seu próprio endereço.

Para adicionar os botões, clique em Editar perfil e depois selecione Opções de contato.

Para quem tem uma loja operando no e-commerce, o Instagram ainda permite integrações. Com um perfil para negócios na rede social, contas que têm catálogos de produtos cadastrados no Facebook podem criar sua loja dentro do próprio Instagram.

Com uma loja configurada na plataforma, você consegue marcar produtos diretamente nas fotos do feed e dos stories. Os seguidores e clientes que se interessarem podem clicar nos produtos e finalizar a compra dentro do próprio app.

Mas, os outros recursos já citados facilitam as relações comerciais na própria rede e você pode processar o pagamento de forma muito simples e prática: usando o link de pagamento.

Link de pagamento

Se você não possui um e-commerce, o Facebook, o Instagram e o Whatsapp podem ser usados como ferramentas diretas de venda digital.

No entanto, isso não significa ficar refém de transferência, depósitos bancários e/ou pagamentos no ato da entrega do produto para o seu cliente.

Se uma pessoa manifesta interesse pelo seu produto pelos comentários ou mandando uma mensagem, é possível garantir toda a compra por meio das redes sociais, usando um link de pagamento.

Com essa ferramenta, você mesmo gera uma URL com as todas as informações da venda (produto, descrição, quantidade, valor, número de parcelas e forma de pagamento) e envia para o seu cliente pelo Whatsapp, por e-mail, por mensagem via Instagram ou Facebook.

Se preferir, pode divulgar esse link em grupos ou nas próprias publicações da sua página e limitar a quantidade de produtos disponíveis, assim você acelera o contato com os clientes e não corre o risco de vender além do estoque.

 

Preciso ter CNPJ para vender?

Não! A boa notícia é que além de servir para pequenos e médios negócios, o link de pagamento também é uma excelente ferramenta para vendedores autônomos, que podem começar a vender usando apenas o CPF.

Nele, você pode se cadastrar com seu CPF ou CNPJ e gerar suas cobranças, podendo assim vender mais pelas redes sociais.

Marketplace

Além de usar as redes sociais, outra forma de vender online sem ter site próprio é participando de um marketplace.

Um marketplace funciona como uma espécie de shopping center virtual. Esta operação é considerada vantajosa para o consumidor, visto que reúne diversas marcas e lojas em um só lugar, facilitando a procura pelo melhor produto e melhor preço.

São muitas as empresas que conhecemos que operam no modelo de marketplace: Americanas, Shoptime e Magazine Luiza, por exemplo.

Para vender por meio do marketplace, você será cobrado por uma taxa para cada venda concretizada. Essa é a forma que a empresa que gerencia o marketplace lucra.

Portanto, se você começou a sua loja agora e não tem como investir recursos para montar uma loja própria, busque investir em uma estratégia híbrida: vender pelas redes sociais e pelo marketplace.

Lembrando que os maiores marketplaces brasileiros possuem uma audiência elevada, agregando em média, 40 milhões de potenciais compradores, o que significa que ao trabalhar com essa plataforma, você amplia sua possibilidade de novos clientes realmente interessados no seu produto.

 

 

 Por fim, seja nas redes sociais ou no marketplace, sempre temos uma solução de pagamentos de acordo para o seu negócio.

0 Comentario "Vendendo online na Black Friday sem ter site e CNPJ"

link patrocinado

Saldão de Eletros

Sua loja grátis

Copyright

É expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo e dos textos disponíveis no site principal (http://www.pridecommerce.com), no fórum de discussões, no boletim de notícias enviado por email e em nas nossas páginas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.), seja através de mídia eletrônica, impressa ou qualquer outra forma de distribuição, mesmo citando a fonte e colocando link para o artigo original. Os infratores serão indiciados e punidos com base nas leis nº 9.610 de 19/02/1998 (Brasil), Digital Millenium Copyright Act (DMCA) (EUA) e diretiva 2001/29/EC (União Européia).



Não nos responsabilizamos por danos materiais e/ou morais de qualquer espécie promovidos pelo uso das informações contidas em nosso site, em nosso fórum de discussões, nosso boletim de notícias ou em publicações feitas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.).



Opiniões emitidas por usuários e moderadores não necessariamente refletem a opinião da Pride Commerce e de sua direção.