Hospedagem Grátis

Loja Virtual Grátis

Loja Virtual Grátis
Patrocinador

Pequenas empresas economizam ao adotar medidas sustentáveis

Iniciativas incluem treinamento de funcionários e corte de desperdícios.


Conferência Rio+20 vai discutir transição para 'economia verde'.


Ficha Economia Verde (Foto: Editoria de Arte/G1) Implantar soluções para proteger o meio ambiente não é um luxo reservado às grandes empresas. Também pequenos e microempresários têm investido em iniciativas nesta área e, em muitos casos, acabam constatando que a preocupação com o futuro do planeta pode reverter em vantagens para o bolso.
Durante a Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, Rio+20, que acontece este mês no Rio de Janeiro, diplomatas e líderes mundiais tentarão formular um acordo para que os países façam uma transição para uma “economia verde”.
Nas negociações, existe um impasse sobre a definição do que exatamente é a "economia verde", mas, em linhas gerais, se trata da busca de modos de produção e consumo que façam melhor uso dos recursos naturais, garantndo uma vida digna às pessoas, sem comprometer o bem-estar das gerações futuras.
(Do dia 1º a 9/6, o G1 publica uma série de reportagens abordando os principais temas que serão discutidos Rio+20.)
Enquanto a comunidade internacional não chega a uma conclusão na esfera global, localmente os empreendedores tomam medidas que tornam suas atividades mais sustentáveis, mesmo que em pequena escala.
Foi o que aconteceu com Jamilton Pereira, dono do restaurante Rei da Pizza, em Camaçari (BA), que, após introduzir a pizza como novidade em sua cidade, resolveu fazer uma parceria com uma madeireira para usar as sobras resultantes da serragem. “Ficou mais econômico. E só recebemos madeira reflorestada”, explica Pereira.
O negócio cresceu e, atualmente, o Rei da Pizza já conta com quatro restaurantes na cidade baiana. Para aproveitar melhor as matérias-primas, o empresário abriu um centro único para produzir os alimentos. Lá, todo lixo gerado é separado e mandado para reciclagem.




“O único resíduo que sobra é papel higiênico, guardanapo e papel-toalha. O resto nós destinamos pra reciclagem. O óleo também é separado para ser reciclado. Só de óleo, são uns mil litros por mês”, explica.
Restaurante na Bahia foi construído de modo a aproveitar a luz natural. (Foto: Divulgação)Restaurante na Bahia foi construído de modo a aproveitar a luz natural. (Foto: Divulgação)
Os restos de alimentos são doados a um suinocultor da região, que os usa para alimentar os porcos. Os funcionários do Rei da Pizza foram treinados para evitar desperdício, gerando uma economia de matéria-prima de cerca de 30%, de acordo com Pereira.

Medidas 'verdes' adotadas em lavanderia: na primeira
foto, máquina de lavar com dosadores automáticos.
Logo abaixo, a secagem de roupa em varal.
Em seguida, a máquina embaladora, que gera
economia em comparação ao uso de sacolas.
Finalmente, o triciclo para entregas,
usado no lugar do carro. (Foto: Divulgação)
 
“Capacitamos o pessoal nas boas práticas com alimentos. Eles aprenderam, por exemplo, que não se pode misturar a carne de boi com a de frango, porque cada uma tem um tipo de bactéria que se prolifera mais rápido”.
Na abertura da última unidade, Pereira apostou também numa arquitetura mais “verde”, com iluminação natural. “Durante o dia, não precisamos acender a luz”, conta.

Lavanderia
Mesmo atuando num ramo que usa água e energia de forma intensiva, o empresário Paulo Gomes acreditou que poderia fazer mais pelo ambiente em sua lavanderia instalada em Rondonópolis (MT).
Lavanderia fotos (Foto: Divulgação) Uma das ideias que teve foi aproveitar o calor do clima local para secar as roupas. Para entregas com prazo de 48 horas, passou a deixar as roupas em varais. Com isso, não só economiza energia, como também melhorou o ambiente para os trabalhadores no galpão onde funciona a empresa, porque o ar no local ficou mais úmido.



Outro passo foi automatizar os equipamentos de lavagem, o que fez com que gastasse menos água e produtos químicos, pois eliminou o erro humano nas dosagens. “E sabe como é: o pessoal sempre erra para mais”, brinca o empresário.
Também o consumo de plástico preocupava Gomes. Ele começou seu negócio entregando as roupas lavadas em sacolas, mas logo comprou uma embaladora, que permite que o material seja empacotado com a quantidade justa de filme. “Com isso, o consumo caiu em 32%”, diz Gomes.
Para as entregas, outra medida de redução de consumo: o carro que fazia 7 quilômetros por litro de combustível foi trocado por um triciclo, que chega a 25 quilômetros por litro – ou seja, economia de mais de 70%.


 


'Conceito errado'
“Para muitos empresários, investir em sustentabilidade é despesa. Isso é um conceito errado. Investir em sustentabilidade dá retorno, porque você diminui custo”, diz Gomes.
Pesquisa feita pelo Sebrae junto a donos de micro e pequenas empresas aponta que essa visão está mudando: 46% areditam que a questão ambiental pode ser uma oportunidade de ganho.
No mesmo levantamento, os empresários deram sinais de que já tomam medidas para evitar desperdício, pois 70,2% responderam que fazem coleta seletiva de lixo; 72,4% controlam gasto de papel; 80,6%, de água; e 81,7%, de energia.

0 Comentario "Pequenas empresas economizam ao adotar medidas sustentáveis"

link patrocinado

Saldão de Eletros

Sua loja grátis

Copyright

É expressamente proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo e dos textos disponíveis no site principal (http://www.pridecommerce.com), no fórum de discussões, no boletim de notícias enviado por email e em nas nossas páginas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.), seja através de mídia eletrônica, impressa ou qualquer outra forma de distribuição, mesmo citando a fonte e colocando link para o artigo original. Os infratores serão indiciados e punidos com base nas leis nº 9.610 de 19/02/1998 (Brasil), Digital Millenium Copyright Act (DMCA) (EUA) e diretiva 2001/29/EC (União Européia).



Não nos responsabilizamos por danos materiais e/ou morais de qualquer espécie promovidos pelo uso das informações contidas em nosso site, em nosso fórum de discussões, nosso boletim de notícias ou em publicações feitas em redes sociais (Facebook, Twitter, YouTube etc.).



Opiniões emitidas por usuários e moderadores não necessariamente refletem a opinião da Pride Commerce e de sua direção.